Calendário de Exibições

agosto 2018
seg ter qua qui sex sáb dom
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031EC

Crônica de um Verão

Crônica de um Verão
de Edgar Morin e Jean Rouch

Um experimento: a gênese do cinema-verdade ( cinéma-vérité ). Em seus 90 minutos de duração, Crônica de um Verão (1961) apresenta a realização de um método inovador de captação do real. Jean Rouch e Edgar Morin propõem uma experimentação do próprio fazer-documentário e, para colocá-la em prática, reúnem um grupo de cidadãos parisienses e de outras nacionalidades, durante o verão, para investigar os temas que permeiam a vida urbana francesa no início da década de 60 através de perguntas como “Como você vive?” e “Você é feliz?”.

Na cena inicial é apresentada a ideia do documentário, nela: Rouch, Morin e Marceline discutem o problema de se colocar uma câmera na realidade e do desconforto do entrevistado ao responder às perguntas que os realizadores colocam. Para além de um exemplo de metalinguagem, essa discussão é uma amostra das questões calorosas que giravam, no período do pós-guerra, em torno da possibilidade de se documentar algo. A ruptura com o conceito de captação objetiva do real e da realização do filme apenas pelo seu “criador” é rompida aqui, mas onde estaria a verdade? A verdade está onde se inicia e termina o processo do filme, dos encontros e desencontros durante a produção, das conversas entre documentaristas e documentado, da montagem coletiva. Enfim, a verdade
é a criação do filme.

Através deste experimento metalinguístico, antropológico, etnográfico, cinematográfico, moderno etc, Rouch e Morin acabam por criar um exame dos sentimentos e angústias de uma geração e de questões socioculturais que envolvem a vida nas cidades (o trabalho, as relações inter-raciais e étnicas, a imigração, a guerra, o consumo, a rotina). Mas parece que a questão que circunda todas estas outras é a colocada por um dos entrevistados “O que é um homem hoje?”, e a partir daí podemos perguntar o que é um documentário.

Fernando Santos

Write a comment