Próximas exibições

Receba a programação por e-mail

Calendário de Exibições

novembro 2008
seg ter qua qui sex sáb dom
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

Textos das sessões passadas

O Túmulo dos Vagalumes

Hotaru no Haka” é um filme, ambientado na segunda guerra mundial, que aborda o tema no ponto de vista de Seita, um jovem de Kobe (uma das ilhas do pacifico no domínio do Japão), que tem de cuidar de sua irmã, Setsuko, depois que seu pai foi para a guerra e sua mãe morreu em um ataque aéreo. A guerra na verdade é só um plano de fundo para contar o sofrimento desse casal de irmãos.

Baseado na obra de Akiyuki Nosaka, “Hotaru no Haka” é uma homenagem semi-autobiográfica a sua irmã e a sua família. Tem como intuito mostrar o quão cruel a vida pode ser com os jovens que desrespeitam os mais velhos, focalizando principalmente jovens como Seita, que já tem as responsabilidades dos adultos, porém não o seu respeito.

Tal sofrimento é levado a última potência nesse filme em que a única coisa que importa ao protagonista é agradar a irmã. Esses pequenos momentos de felicidades dos personagens, resultado sempre de ações simples, agravam a compaixão que sentimos por eles. Mesmo com flash forward no ínicio, somos surpreendidos emocionalmente no fim.

Apesar da animação pertencer ao Isao Takahata, co-criador dos estúdios Gimbli, famosos por suas animações fantásticas para pré-adolescentes, “Hotaru no Haka” é o oposto disso. Com uma temática séria, a história é carregada um forte realismo, tornando quase desnecessária utilizar o formato de animação para contá-la, ou seja, poderia um filme clássico com atores (live action) de fácil execução, apesar das bombas e dos vaga-lumes.

Os vaga-lumes são o principal símbolo da obra, aparecendo ao longo de todo filme, eles são a metáfora da própria condição das personagens: um ser pequeno e frágil que apesar de ter um brilho próprio, é fraco e intermitente. Os vaga-lumes sempre aparecem em grande quantidade mostrando que essas características não são próprias das protagonistas, mas sim presentes em uma gama de pessoas que vivem naquela zona de guerra.

Esse filme realista retrata com perfeição os problemas da guerra e do pós-guerra, isso é impulsionado por animação simples e tradicional com utilização de fundos detalhados. O uso sutil da trilha sonora afasta o filme de um possível melodrama infantil. Mesmo assim o filme causou e causa uma certa repulsão para aqueles que esperam um desenho tranqüilo e feliz.

Saulo França Rosa

Write a comment