Calendário de Exibições

Mostra Queer

Mostra de Cinema Queer

Do transgressor ao normativo, das margens à centralidade das premiações da sétima arte. O cinema Queer dos últimos anos – compreendido como aquele cinema que traz o cotidiano de bissexuais , homossexuais, lésbicas e transsexuais – é o foco do Cineclube Rogério Sganzerla nesse final de semestre.

O Cinema Queer passa por uma trajetória que começa lá na década de 60, quando o afeto homoafetivo e a afirmação de gênero, por si só, consistiam em transgressão. Mas ainda com expressões isoladas, restritas a pequenos grupos – exemplo as produções de John Waters, Andy Warhol, Fassbinder e Chantal Akerman. Na década de 90, com a epidemia da AIDS e a necessidade crescente de organização dos LGBTs para garantirem a própria existência,  ele toma corpo num movimento muito mais expressivo, com e proposições estéticas particulares e festivais com o fim de valorizar esse nicho. Gus Van Sant, Todd Haynes e Gregg Araki são alguns dos nomes desse período.

No início dos anos 2000, as grandes premiações como o Oscar e o Festival de Cannes passam a dar mais centralidade a essas temáticas: filmes como “O Segredo de Brokeback Mountain” e “Milk: a Voz da Igualdade” são expressões disso. Tal atitude causou revoltas sociais de setores que ainda buscam a preservação da antiga moral e da repressão sexual.

E de tanto recortes possíveis – e todos importantes – decidimos trazer para o diálogo aquele feito por essas organizações. Principalmente devido ao seu poder de direcionar as produções artísticas e propor debates no seio da sociedade.

Me Chame Pelo Seu Nome de Luca Guadagnino – dia 05 de junho, terça-feira às 19 horas, no auditório Henrique Fontes (CCE-B). Elio é um jovem e enfrenta mais um verão preguiçoso na casa de seus pais na Itália. As coisas mudam quando Oliver chega, um acadêmico contratado como assistente de pesquisa de seu pai.

Uma Mulher Fantástica de Sebastián Lelio – dia 12 de junho, terça-feira às 19 horas, no auditório Henrique Fontes (CCE-B). Marina é uma garçonete transexual que ocupa seus dias trabalhando como garçonete e ao canto de música lírica. Seu sonho é ser uma cantora lírica de sucesso com isso ela se apresenta nos clubes noturnos da cidade. Quando seu parceiro morre, ela se vê diante da raiva e do preconceito da família dele sem ter o direito de se despedir de seu amado.

O Reino de Deus de Francis Lee – dia 19 de junho, terça-feira às 19 horas, no auditório Henrique Fontes (CCE-B). Johnny trabalha só na fazenda da família e lida com as frustrações com bebidas e sexo casual. Quando seu pai contrata Gheorghe, um imigrante para ajudá-lo na fazenda, tudo muda. A partir do relacionamento dos dois, Johnny encontrará-se em outro caminho.

Thelma de Joachim Trier – dia 26 de junho, terça-feira às 19 horas, no auditório Henrique Fontes (CCE-B). Thelma é uma jovem fechada. Ao se mudar para a capital para estudar, começa uma conturbada relação com uma amiga. Contudo, a imediata intromissão de seus pais, muito religiosos, afeta a jovem que, buscando suprimir seus sentimentos, desencadeia uma série de estranhos acontecimentos.

Moonlight: Sob A Luz do Luar de Barry Jenkins – dia 3 de julho, terça-feira às 19 horas, no auditório Henrique Fontes (CCE-B). Black trilha uma jornada de autoconhecimento enquanto tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas de Miami. Encontrando amor em locais surpreendentes, ele sonha com um futuro maravilhoso.

As sessões são todas as terças, 19h, no Auditório Henrique Fontes, localizado no Bloco B do CCE. Você pode conferir aqui a localização.

Em caso de dúvidas, entre em contato com o CRS através das nossas redes sociais ou do nosso email: cineclubesganzerla.cinema@contato.ufsc.br. Esperamos você nas sessões!

Write a comment