Quem Somos

O Cineclube Rogério Sganzerla surgiu da urgência sentida pelos alunos do recém criado Curso de Cinema da UFSC (2005) em discutir de forma mais sistemática, através da exibição de filmes, questões ligadas à história e teoria do cinema dentro da comunidade universitária e local. O objetivo, então, era a formação de público e difusão de estudos cinematográficos, através de debates e disponibilização de textos críticos.  O projeto começou suas atividades em julho de 2006, exibindo em sua inauguração, em homenagem ao seu patrono, o filme “O Bandido da luz Vermelha” (1968).

O cineclube do bandido funcionou regularmente até 2013. Em 2018 ele retorna, e nesse acúmulo de tempo houveram mudanças significativas. O feminino dentro do cinema é pensado muito além da sua representação na imagem; vira pauta social a humilhação histórica de inúmeras profissionais nos sets de filmagem. O afeto entre corpos independente de gênero ou espécie, a voz para quem antes sera desumanizado com base na raça.

As instituições do cinema passam a orientar suas premiações tendo como norte esse debate: a liberdade sexual, o fim da submissão do feminino e o espaço para a comunicação do negro. Se antes essas discussões ficavam restritas a pequenos grupos – seja no cinema ou na sociedade – agora elas se massificam. Se antes apenas tangenciavam projetos políticos, agora tornam eixo; pois são fundamentais para a garantia do poder. É nesse contexto que a proposta do Cineclube Rogério Sganzerla se insere.

Atualmente o projeto conta com o apoio da equipe do Cine Paredão e é uma realização da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), Secretaria de Cultura e Arte (SECARTE), Centro de Comunicação e Expressão (CCE) e do Curso de Cinema.

Professora coodernadora:
Clélia Mello