Quem Somos

O Cineclube Rogério Sganzerla surgiu da urgência sentida pelos alunos do recém criado Curso de Cinema da UFSC (2005) em discutir de forma mais sistemática, através da exibição de filmes, questões ligadas à história e teoria do cinema dentro da comunidade universitária e local. Em meados de 2005 foram exibidos filmes como “Monty Phyton e o Sentido da Vida”, “Amor a Flor da Pele”, “Drugstore Cowboy”, “Touro Indomável” e “Todas as Mulheres do Mundo”, para chamar a atenção da comunidade universitária e averiguar qual seria o formato e caráter ideal para as atividades do cineclube.

O formato escolhido então foi o de sessões semanais, priorizando filmes de importância histórica e estética de difícil acesso na cidade, organizadas por temas gerais e seguidas por debates. Além disso, os organizadores confeccionariam um texto introdutório e produziriam divulgação e um site na internet com informações sobre o projeto. Assim, o primeiro tema escolhido foi Clássicos do Cinema Brasileiro, exibindo alguns filmes que marcaram a cinematografia brasileira, como “Limite”, “Deus e o Diabo na Terra do Sol” e “Matou a Família e Foi ao Cinema”. Outros temas em proposição são Cinema Clássico, Cinema de Vanguarda, Cinema Moderno e Cinema Contemporâneo.

O cineclube do bandido funcionou regularmente até 2013. Em 2018 ele retornou. Atualmente o projeto conta com o apoio da equipe do Cine Paredão e é uma realização da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), Secretaria de Cultura e Arte (SECARTE), Centro de Comunicação e Expressão (CCE) e do Curso de Cinema.

Professora coodernadora:
Clélia Mello